Diante do cenário polarizado, a Aupa perguntou a atores do ecossistema de negócios de impacto no país, dentre organizações da sociedade civil, empreendedores e acadêmicos, como o campo deve lidar ou se posicionar no segundo turno das eleições.
Como resposta, as organizações que fazem parte da Aliança divulgaram à carta aos candidatos, reforçando que sua manifestação não têm caráter partidário. Assinam o documento junto com a Aliança as organizações: Aspen Network of Development Entrepreneurs (ANDE), Anjos do Brasil, Artemisia, Derraik & Menezes Advogados e Associados, GIFE – Grupo de Institutos, Fundações e Empresas, Impact Hub, Pipe Social, Quintessa , Sistema B, SITAWI Finanças do Bem, Vox Capital e World Transforming
Technologies (WTT).
Algumas outras organizações reforçaram as manifestações que fizeram sobre o cenário político em outros canais. A Ashoka Brasil reiterou o posicionamento assumido em uma carta de repúdio às declarações de Jair Bolsonaro, assinada em 7 de outubro junto a demais coletivos, movimentos sociais e organizações da sociedade civil.
Como consta em um trecho da carta, “a declaração do candidato à Presidência Jair Bolsonaro de que irá ‘botar um ponto final em todos os ativismos no Brasil’ é de extrema gravidade. Ela é mais uma ameaça propagada por esta candidatura à nossa democracia. Bolsonaro afirmou seu desejo de acabar com a atuação das organizações da sociedade civil em seu pronunciamento oficial no dia 7 de outubro, veiculado pela Internet logo após a confirmação, pelo Tribunal Superior Eleitoral, de que o candidato disputará o segundo turno no próximo dia 28”. É possível ler o documento completo neste link.
Os demais consultados pela nossa reportagem ou, não nos responderam, ou preferiram não se posicionar neste momento.
A Aupa busca se consolidar enquanto veículo jornalístico que debate, discute, aprofunda e investiga sobre o setor de negócios de impacto no Brasil. Nossa missão é fortalecer e amadurecer o campo por meio da comunicação e do jornalismo. Acreditamos que, em tempos que a democracia se encontra fragilizada, o Jornalismo especializado e dedicado reafirma seu propósito de informar e de permanecer alerta contra as ameaças ao valores democráticos, ao combate às desigualdades sociais, de raça e gênero, e à promoção dos direitos humanos. Em conformidade com esses princípios, a Aupa se opõe editorialmente a qualquer projeto que venha a ferir quaisquer destes pressupostos. E assim o fará continuando a contar histórias, a discutir, debater, aprofundar e investigar.

Confira a carta da Aliança na íntegra

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome